É possível infartar com o colesterol normal?

É possível infartar com o colesterol normal?

Frequentemente no consultório, alguém me conta uma história sobre um parente ou conhecido e me faz a seguinte pergunta: doutor, é possível infartar com o colesterol normal? O que acham? Vamos lá!

Todos sabemos que a formação da placa de ateroma (“placa de gordura”) dentro dos nossos vasos sanguíneos é uma das grandes preocupações no quesito saúde.

Porém, esta preocupação acaba ficando muito superficial.

Não se distingue hoje nas consultas de check-up tradicionais os riscos de uma placa de ateroma estável x placa de ateroma instável. E o que eu quero dizer com isso? Para diferenciarmos o risco de instabilidade de uma placa de ateroma teremos que avaliar não apenas parâmetros laboratoriais, mas também os clínicos.

Sim, clínicos! Se um paciente é tabagista, sedentário e obeso, mesmo que tenha o colesterol normal, você acredita mesmo que ele esteja saudável?

Parabéns, você já está entendendo que é preciso olhar o paciente como um todo e não com um numero num papel! Sedentarismo, estresse, qualidade de sono ruim, carências nutricionais, tabagismo, diabetes, obesidade, etilismo crônico são alguns dos fatores de risco que potencializam a inflamação crônica subclínica dos nossos vasos sanguíneos e que podem causar doenças tromboembólicas em pacientes ditos “normais”.

A placa de ateroma instável é a grande vilã das doenças tromboembólicas. A inflamação crônica subclínica gera esta instabilidade pois deixa nossos vasos mais friáveis e uma “inocente” placa de gordura que se solta, transforma-se em um trombo que, ao encontrar um vaso de menor calibre, causará a doença final (ex.: pulmão = embolia / coração = infarto / cérebro = avc).

Facebook Comentários
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *