Dia da conscientização contra a obesidade mórbida infantil

Dia da conscientização contra a obesidade mórbida infantil

O principal objetivo desta data é conscientizar a população sobre os cuidados para combater esta doença que afeta milhares de crianças. Para Organização Mundial da Saúde (OMS) o combate à obesidade mórbida de crianças e jovens é um dos principais desafios para o século 21.

No Brasil, o cenário é alarmante. O percentual de crianças brasileiras entre 5 e 9 anos com excesso de peso chega a 33,5%. Diversos fatores podem causar obesidade infantil. Entre as causas mais comuns estão fatores genéticos, alimentação inadequada (rica em fast foods, alimentos industrializados e congelados, refrigerantes, doces e frituras), sedentarismo ou uma combinação desses fatores. Além disso, a obesidade em crianças também pode ser decorrente de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos a base de corticoides. Fatores psicológicos, como estresse e depressão, e a falta de atividade/entretenimento, podem fazer as crianças comerem mais do que o normal.

Apesar de existir uma influência genética, nem todos os pais com obesidade também terão filhos obesos, assim como aqueles com peso adequado podem ter filhos com obesidade. Isso porque a obesidade infantil está ligada também aos hábitos alimentares da criança e da família, bem como a realização de atividades físicas.

No passado, acreditava-se que uma criança “gordinha” seria sinônimo de saúde, porém atualmente sabe-se que crianças com excesso de peso têm maiores chances de virem a ser adultos obesos e a desenvolverem doenças como pressão alta, níveis elevados de colesterol e diabetes. É importante intervir em tempo para que o sobrepeso não se torne obesidade e está se torne mórbida. A perda de peso melhora a condição cardiovascular e reduz o risco de complicações relacionadas à obesidade

Ajudar a criança a manter um peso adequado é responsabilidade de toda a família. É preciso que hábitos alimentares saudáveis sejam mantidos por todos para que as crianças sigam o exemplo. Os principais cuidados recomendados seriam: dieta pobre em carboidratos e açucares; ênfase no consumo de alimentos ricos em proteína e gorduras boas; evitar o consumo de alimentos ricos em gordura trans, processados e industrializados; ingestão regular de água. A participação da escola na formação de um perfil alimentar saudável também é importante e tem aumentado muito, como grande aliada da família.

Em resumo, a qualidade da alimentação e a quantidade de atividade física da criança são determinantes para o desenvolvimento da obesidade infantil. Fique atento, cuide dos seus hábitos e dos hábitos dos seus filhos. Se tiver dúvidas, não deixe de procurar um especialista que realizará um acompanhamento clínico, se houver necessidade.

Facebook Comentários
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *